Acompanhe nas redes sociais

Olá, o que você está procurando?

#Críticas

Crítica: Heartstopper

Recentemente assisti a Heartstopper na Netflix com meu namorado e estarei compartilhando o que achei da drama na íntegra. Confira!

Heartstopper é uma nova série da Netflix que foge um pouco das demais séries com a temática LGBT, o que ao meu ver é um ponto super positivo pois diferencia a série Heartstopper das demais presentes no catálogo da Netflix.

Pelo que pude perceber ao assistir, Heartstopper foi muito inspirado nos quadrinhos de Alice Oseman – do qual não conhecia anteriormente, que atua também como roteirista e produtora executiva neste projeto tão sensível, com direção assinada por Euros Lyn e possui 8 episódios de 30 minutos em média.


Crítica sobre a série gay Heartstopper
Imagem/Reprodução: Click Wallpapers

A trama se desenvolve ao redor do personagem Charlie, um adolescente bastante calmo e na dele e empático para com o próximo – no caso os seus amigos e parentes, dedicado aos estudos, mas que luta para sarar as feridas do bullying massivo que recebeu no ano anterior no colégio, desde que seu colégio descobriu sobre sua sexualidade, se assumindo homossexual.

Tudo muda drasticamente no novo ano letivo e a vida de Charlie ganha novas cores quando passa a se sentar ao lado do personagem Nick, um aluno um pouco mais velho, relativamente popular e de destaque do time de Rúgbi, mas com muitas dúvidas sobre sua sexualidade. Com o passar do tempo, uma verdadeira amizade nasce para mais tarde florescer em algo sincero e apaixonante.

Análise completa sobre a série gay Heartstopper
Imagem/Reprodução: Click Wallpapers


A história de Heartstopper logo no primeiro episódio parece bastante focar apenas nesse romance improvável com fórmula batida – inclusive foi o que eu pensei logo nos primeiros minutos, mas não, a série consegue permear muito mais do que isso, de forma delicada e inteligente.

Com o avançar da história, o Charlie passa pelos obstáculos da adolescência com o apoio de um grupo de amigos de seu convívio, que retrata bem como uma rede de apoio deveria funcionar – ao menos em teoria. Charlie também passa por situações de questionamentos ao longo da drama, mas ele não está sozinho.

O grupo de amigos de Charlie é composto pelo personagem Tao – seu melhor amigo héterossexual, superprotetor e ciumento, a personagem Elle, uma aluna transsexual que estudou com os garotos anteriormente e agora frequenta o colégio próximo, para garotas, e Isaac um personagem silencioso que infelizmente não tem muito destaque no núcleo.

Crítica sobre a série gay Heartstopper
Imagem/Reprodução: Click Wallpapers

Os episódios de Heartstopper são repletos de diversidade, com a personagem Tara e a Darcy, um casal que está passando também por um momento importante, assumindo a relação lésbica publicamente e os desafios que isso implica cotidiano de ambas no colégio e precisam aprender a lider com o bullying e situações nada confortáveis no colégio.


Com muita leveza, mostram que, apesar da dificuldade, há beleza em ser quem você realmente é sem medo de ser feliz. Isso também aponta na série a preocupação de exemplificar diversas fases da jornada de autoaceitação na adolescência, não só a descoberta da sexualidade, mas também de como lidar corretamente com as consequências disso.

Crítica sobre a série gay Heartstopper
Imagem/Reprodução: Click Wallpapers

A série Heartstopper traz de forma geral entre as cenas, desafios reais e tangíveis da adolescência de um jovem gay, em um tom doce sem perder a essência de uma história que lança, ao coração de muitos, a esperança de que a vida pode ser complicada quando se é diferente, mas prazerosa e recompensadora ao final.

Eu fiquei relativamente contente em poder assistir a um projeto tão nobre como Heartstopper. É interessante acompanhar os 8 episódios, que apesar de serem curtos, conseguem explanar discussões muito pertinentes, mesmo com a pouca idade, os personagens lidam de um jeito muito maduro com os conflitos, inclusive durante os diálogos que passam longe do forçado – algo que acontece em outras.


Crítica sobre a série gay Heartstopper
Imagem/Reprodução: Click Wallpapers

Além disso, entre os episódios é possível notar elementos gráficos que remetem aos traços da HQ, como corações, e folhas – várias vezes inclusive, indicam a passagem de um momento a outro.

Aqui fica também o exemplo, de que é notável a diferença que se faz em uma produção que contempla a presença da autora da trama e exerce sua visão de quem conhece intimamente seus personagens e seus passos.

Enquanto assistia a série Heartstopper, honestamente não havia entendido o motivo dessas transições e animações, mas após pesquisar mais afundo inclusive acerca da obra original no formato de livro, pude compreender melhor a razão pela qual a direção optou por manter essa característica original.

Todas as adições que o roteiro aplica às telas condizem com a história original – após pesquisar e me aprofundar na obra após assitir toda a série, destrinchando um assunto, ou apenas dando mais espaço para tramas adjacentes que não foram exploradas na HQ original.

Mais do que simplesmente a sexualidade, a história de Heartstopper joga luz sobre questões para que todos, de maneira geral, possam se identificar, como a valorização dos sentimentos, autoestima e a libertação de estigmas. Heartstopper é uma série aconchegante, simples, real, mas que grita sim ao amor, que escancara as diferenças e faz sentir como é bom se abrir para si mesmo.

Dica para Você: Baixe wallpapers gratuitos da série Heartstopper!

Minha Opinião
  • Roteiro
  • Direção
  • Elenco
  • História
  • História
4.7

Conclusão

Heartstopper é sem sombra de dúvidas uma série sensacional, mais do que sexualidade, a história narrada na série traz vários assuntos para reflexão e, de maneira geral, grande parte das pessoas vão se identificar com a série, como a valorização dos sentimentos, autoestima e a libertação de estigmas.

O ponto mais forte da série Heartstopper, na minha opinião, é retratar relacionamentos homoafetivos sem criar determinadas situações em que o discurso “militante” se sobressaia ao enredo e fique literalmente chato demais.

Além disso, em quase todos os momentos em que a homossexualidade de alguém é sinal de confronto, a série Heartstopper trata isso de maneira a abrir espaço para o conhecimento, mas de modo a ser um debate convidativo para todos os espectadores.

Heartstopper consegue também trazer com maestria a soltura de amarras que estejam suprimindo sua verdadeira personalidade por pensar no que os outros vão pensar de você ou como vão criticar de terceiros.

Por último, apesar de algumas pequenas falhas de gravação, transição e continuação, Heartstopper é uma série aconchegante, simples, real, mas que traz um pilar importante que é a importância de ser você mesmo e amar sem medo de ser feliz.

Para a elaboração dessa crítica sobre a série Heartstopper, eu assistir com o meu namorado Matheus Araújo e tanto eu quanto ele recomendamos a série para todos! Só não esqueça de preparar a pipoca! 🙂

Minha Opinião
  • Roteiro
  • Direção
  • Elenco
  • História
  • História
4.7

Conclusão

Heartstopper é sem sombra de dúvidas uma série sensacional, mais do que sexualidade, a história narrada na série traz vários assuntos para reflexão e, de maneira geral, grande parte das pessoas vão se identificar com a série, como a valorização dos sentimentos, autoestima e a libertação de estigmas.

O ponto mais forte da série Heartstopper, na minha opinião, é retratar relacionamentos homoafetivos sem criar determinadas situações em que o discurso “militante” se sobressaia ao enredo e fique literalmente chato demais.

Além disso, em quase todos os momentos em que a homossexualidade de alguém é sinal de confronto, a série Heartstopper trata isso de maneira a abrir espaço para o conhecimento, mas de modo a ser um debate convidativo para todos os espectadores.

Heartstopper consegue também trazer com maestria a soltura de amarras que estejam suprimindo sua verdadeira personalidade por pensar no que os outros vão pensar de você ou como vão criticar de terceiros.

Por último, apesar de algumas pequenas falhas de gravação, transição e continuação, Heartstopper é uma série aconchegante, simples, real, mas que traz um pilar importante que é a importância de ser você mesmo e amar sem medo de ser feliz.

Para a elaboração dessa crítica sobre a série Heartstopper, eu assistir com o meu namorado Matheus Araújo e tanto eu quanto ele recomendamos a série para todos! Só não esqueça de preparar a pipoca! 🙂

Escrito por

Meu nome é Juan de Souza, tenho 22 anos, sou empresário, investidor, blogueiro, streamer e podcaster. Comecei o meu primeiro negócio aos 10 anos de idade, utilizando uma conexão discada no Brasil. Fundei negócios como o TFX, Juan de Souza Media, Coliseu Geek, EcoVision, dentre outros.

Comentários

Veja o que recomendamos do Blog do Juan para você:

#Cinema

“Com Amor, Simon” é um excelente filme sobre o medo de ser desaprovado. Na prática, viver à espera da aprovação do outro é, decerto,...

#Cinema

Há exatos 19 anos, surgia a ideia de criar uma das maiores séries do mundo: Harry Potter. A trama se resume sobre o menino...

#Cinema

Atualmente, o cinema tem como função não só divertir, mas também trazer novas ideias e perspectivas ao espectador. Para quem tem seu próprio negócio...

#Homossexualidade

Praticamente, em todos os relacionamentos que as pessoas possuem durante a sua vida, as conexões familiares talvez sejam as mais importantes de todas. Sem...