MP3 realmente foi descontinuado? Entenda!

O formato digital MP3 foi uma grande revolução para a música na década de 1990. A partir da compressão de áudio, o mundo do entretenimento cresceu bastante durante os anos 90, e o formato “.MP3” tornou-se um popular meio de distribuição de diversas músicas pelo mundo. Agora ele está morto. Sim! Recentemente, os seus desenvolvedores anunciaram nesta que o programa de licença do formato está oficialmente encerrado devido a diversas variáveis.

O que é o MP3 Player? Definição Prática
Imagem/Reprodução: TechSpot

O Instituto Fraunhofer tem o direito de determinar certas patentes da tecnologia MP3 para desenvolvedores de softwares que pretendem vender ou, até mesmo, distribuir codificadores ou decodificadores para o formato. A nota divulgada pelo instituto ao público foi a seguinte:

“Apesar de haver codificadores mais eficientes disponíveis hoje, o MP3 ainda é muito popular entre consumidores. No entanto, a maioria das mídias modernas como streaming ou TV e rádio usam codificadores ISO-MPEG como a família AAC ou, no futuro, o MPEG-H. Estes podem levar maior qualidade com taxas de bits menores que quando comparados com o MP3.”

A decisão de finalizar o MP3 é puramente “simbólica“, como quando as fábricas de computadores começaram a incluir CD-ROMs ao invés de drives para disquetes. O padrão atual é o ACC (Advanced Audio Coding), que foi desenvolvido em partes pelo Instituto Fraunhoufer. A revolução trazida pelo MP3 foi a facilidade de fazer download de arquivos de áudio nos dias de internet de alta velocidade.

Ao contrário do vinil ou da fita cassete, parece improvável que o MP3 tenha um retorno nostálgico em algumas décadas. A qualidade de áudio deixa a desejar quando é comparada com os padrões atuais e algumas pesquisas até sugerem que sua compressão reforça a percepção negativa dos instrumentos musicais.

Meu nome é Juan, tenho 20 anos, sou empresário, investidor, blogueiro, streamer e podcaster. Com muito orgulho comecei meu primeiro negócio aos 10 anos de idade utilizando uma conexão limitada no Brasil, especificamente numa cidade de interior.