O que podemos aprender com os Japoneses?

Sem dúvidas, a Copa do Mundo é uma excelente oportunidade para aprender com outras culturas. A exemplo do que aconteceu na Arena Pernambuco na Copa do Mundo que foi sediada no Brasil, na derrota da sua seleção para a Costa do Marfim, os torcedores japoneses voltaram a recolher o lixo produzido. Munidos de sacos de lixo, eles deram nova lição de civilidade e educação após o fim da partida – curiosamente, os mesmos sacos foram enchidos de ar e serviram para ajudar na bonita festa nas arquibancadas.

Lição de Educação e Civilização dos Japoneses
Imagem/Reprodução: Chandy Teixeira

Imagine se pudéssemos reunir o que há de melhor em cada cultura, em cada país e transportá-los para o nosso Brasil. Com certeza viveríamos num paraíso. Infelizmente, isso não é possível; mas não nos desesperemos, sempre haverá algo de positivo que se possa aprender. Alguns bons exemplos de preservação ao meio ambiente e civilidade existem, e são nesses autênticos exemplos que precisamos nos espelhar.

Bastou um simples gesto para que logo fosse noticiado no mundo todo como algo surpreendente, gerando debates sobre o senso cívico e a conduta pública de diversos países. Sim, diversos jornais do mundo mostraram os torcedores japoneses recolhendo os lixos das arquibancadas depois dos dois jogos do Japão na Copa do Mundo. Essa prática é algo inerente aos japoneses desde a infância, onde aprendem desde cedo que cada um deve ter responsabilidade sobre o lixo que produzem. Sabem que se não cuidarem disso, não terá ninguém que cuidará e por isso a coleta de lixo é levada muito à sério e cada um faz sua parte em prol do bem estar de todos os cidadãos.

O que podemos aprender com os Japoneses
Imagem/Reprodução: Chandy Teixeira

Antes mesmo do fim do jogo da Copa, já era possível perceber os japoneses recolhendo o lixo. Inclusive, indo a outros setores para limpar a sujeira deixada por outras pessoas. Resultado: lances e mais lances de arquibancadas sem lixo no setor onde a torcida do Japão ficou concentrada.

– Nós sempre fazemos isso, e é bacana que os brasileiros tenham nos ajudado. Não sabíamos que seria assim tão comentado. Estão tirando fotos nossas – disse um dos japoneses, surpreso com a atenção dada a algo que, para eles, é tão comum.

O que podemos aprender com os Japoneses
Imagem/Reprodução: Chandy Teixeira

Infelizmente, para alguns Brasileiros, ser honesto é ser trouxa. Difícil saber que o “amigo” do lado está se dando bem “às aveças” e a gente também poderia se dar e agimos como “babacas”. Deixamos a oportunidade passar e “morremos pobres”, enquanto o outro, que foi “esperto” pois soube valorizar a “oportunidade que teve” e encheu os bolsos com dinheiro público que deveria ser destinado à saúde, a educação, segurança pública, ao meio ambiente, investimento em infraestrutura, entre outros.

A maioria das pessoas no Brasil só se espelham no mal exemplo, bom seria se pudéssemos nos espelhar no que faz bem à coletividade e não apenas aos nossos “umbigos”, quiçá nos tornaríamos um dia como o Japão em desenvolvimento e sinônimo de honestidade. Pois, apesar de eles terem essas qualidades nós temos território – somos o quinto maior do planeta terra, eles o 61º, talvez do tamanho de Mato Grosso do Sul, por exemplo.

Jeitinho Brasileiro. O Brasil tem jeito de fato?
Imagem/Reprodução: Chandy Teixeira

Apesar da imensidão diminuta do Japão, ele ainda consegue ser duas vezes mais rico que o Brasil; tem um IDH de 0,960 sendo o 10º melhor do mundo contra o nosso que está na 75º posição mundial (0,813); já na lista dos menos corruptos, de acordo com Transparência Internacional em 2013, o Brasil ficou em 72º e o Japão em 18º lugar. Não ficou em primeiro, nem segundo com menos corrupção, todavia é uma posição assustadoramente melhor que a nossa – ainda é um bom exemplo a seguir além dos que já foram citados.

E você, qual é o grande exemplo que podemos nos espelhar? Compartilhe! 🙂

Juan de Souza

Tenho 19 anos, Fundador & CEO do TFX Startup International, uma empresa com produtos, serviços e projetos inovadores. Meu primeiro empreendimento foi aos 10 anos utilizando conexão dial-up (discada).