O que são FTP, FTPS e SFTP? Quais as funções?

Se você possui atualmente um site ou blog na internet, talvez já tenha ouvido falar em conexões FTP, FTPS e/ou SFTP, mas provavelmente nunca parou para pensar o que essas três siglas significam e para o que servem. Afinal, boa parte dos empreendedores, mesmo aqueles que criaram seus próprios sites, podem não ter usado esses três protocolos existentes.

Conexão SFTP, FTP e FTPS - Definição e Benefícios
Imagem/Reprodução: Simple Helix

O fato é que vale a pena conhecer esses três elementos que são muito úteis tanto para programadores quanto para os empreendedores e, em alguns casos, podem até salvar o seu site ou blog caso ocorra algum erro de script ou invasão hacker em sua aplicação. Portanto, vamos conhecê-los?

FTP – File Transfer Protocol

Como o nome revela, o FTP é um protocolo de transferência de arquivos. Isso significa que o FTP cria um canal de comunicação entre o seu computador e o servidor que hospeda o seu site para que você possa enviar os dados que deseja alocar ou realizar modificações nele.

Por que isso é tão importante? Bem, vamos imaginar que você possua um site em WordPress, um dos CMS mais famosos e utilizados de forma global. Imagine que ao editar o seu site, você, acidentalmente, acaba apagando uma linha de código importante (em “functions.php“, por exemplo) e o seu site sai do ar. Sem acesso ao painel do WordPress fica impossível voltar ao editor CSS para sanar o erro.

Nesse caso, uma das soluções é acessá-lo via conexão FTP! Lá você vai encontrar tudo o que estiver na sua hospedagem, inclusive a pasta com os arquivos do WordPress. Aí é só encontrar o problema, corrigir o código ou simplesmente apagar a pasta do template e começar de novo, ou melhor ainda utilizar o seu backup para enviá-los novamente. Todavia, a conexão FTP não é uma conexão segura e pode ser interceptada por usuários mal intencionados.

FTPS – File Transfer Protocol over SSL

FTPS nada mais é do que um FTP com uma camada extra de segurança SSL. As informações trafegadas entre os dois canais (o seu computador e o servidor) não possuem um recurso de segurança que cuide exclusivamente dessa transmissão. No FTPS, por exemplo, todos os dados são criptografados usando a tecnologia SSL (Secure Socket Layer). Na prática, isso quer dizer que as informações viram uma espécie de enigma quando saem do seu computador e só são decifradas quando chegam ao servidor.

Desta forma, mesmo que alguém consiga interceptar o tráfego com a intenção de roubar dados, não vai poder ler as informações. Existem dois tipos de FTPS, o com SSL implícito e explícito. No primeiro, todas as conexões têm que ser, obrigatoriamente, protegidas por criptografia. Qualquer tentativa de transmitir ou receber informações fora do SSL são rejeitadas pelo servidor. No segundo, o cliente (forma como o seu computador é chamado) pode escolher quais informações quer que sejam encriptadas.

SFTP – Secure File Transfer Protocol

O SFTP assemelha-se ao FTPS pelo fato de ambos oferecerem uma proteção extra aos arquivos e alterações que estão sendo feitas na hospedagem. No entanto, o SFTP utiliza-se da tecnologia SSH (Secure Shell) para autenticar o contato e estabelecer uma conexão segura entre as máquinas que estão prestes a se comnunicar.

O SSH é um outro protocolo de rede criptográfico que tem como objetivo fornecer uma conexão segura para troca de dados e é amplamente usado no caso de logins remotos para acesso de sistemas de computadores. Quando há transmissão com SFTP, as informações não são transmitidas por canais de fluxo direto, mas empacotadas em SSH.

O usuário também pode configurar chaves privadas para reforçar a segurança enquanto os pacotes de dados são enviados do seu computador para o servidor. Aproveitando o “gancho”, a plataforma da minha startup: o Blenner OS, oferece em todos os planos somente conexão SFTP, por considerar ser a mais segura para o cliente.

Espero ter ajudado! 😀
Deixem seus comentários e compartilhe com os amigos!

Juan de Souza

Tenho 19 anos, Fundador & CEO do TFX Startup International, uma empresa com produtos, serviços e projetos inovadores. Meu primeiro empreendimento foi aos 10 anos utilizando conexão dial-up (discada).